Fita Azul, orgulho surdo.




Tornou-se parte da cultura surda usar uma fita azul
- Uma conhecida fita azul representa um motivo: ela engloba uma história, uma cultura, uma língua, um povo.
- A fita azul representa a opressão enfrentada pelas pessoas surdas ao longo da história.
- A cor azul foi escolhida para representar "O Orgulho Surdo", para homenagear todos os que morreram depois de serem classificados como "surdo" durante o reinado da Alemanha nazista.
- Hoje em dia ela representa as suas silenciosas vozes em um mar de línguas faladas.
- A fita azul foi introduzida em Brisbane, na Austrália, em julho de 1999, no Congresso Mundial da Federação Mundial de Surdos. Durante o evento foi feita a sensibilização da luta dos Surdos e suas famílias ouvintes, através dos tempos.
-Ao recordarmos a opressão dos Surdos no passado e hoje, está se tornando claro para um número maior de pessoas que os Surdos podem fazer qualquer coisa, exceto ouvir.
- Aqueles que usam a fita azul têm orgulho em mostrar um pouco de sua própria cultura: A Cultura surda.
Surdez não é uma deficiência, mas uma cultura.

fonte: FCEE

Na Segunda Guerra Mundial, era comum o uso de eutanásia nos hospitais, onde eram mortos bebês surdos.
Posteriormente, tornou-se comum a prática do aborto, que era aplicada quando se suspeitava que os fetos poderiam ter deficiências congénitas, ou qualquer tipo de doença, como no caso da surdez.
Poucos surdos escaparam, sobrevivendo em guetos e nos campos de concentração.

Na Antigüidade os chineses lançavam-nos ao mar, os gauleses sacrificavam-nos aos deuses Teutates, em Esparta eram lançados do alto dos rochedos.

Na Grécia, os Surdos eram encarados como seres incompetentes.

Aristóteles, ensinava que os que nasciam surdos, por não possuírem linguagem, não eram capazes de raciocinar. Essa crença, comum na época, fazia com que, na Grécia, os Surdos não recebessem educação secular, não tivessem direitos, fossem marginalizados (juntamente com os deficientes mentais e os doentes) e que muitas vezes fossem condenados à morte.

No entanto, em 360 a.C., Sócrates, declarou que era aceitável que os Surdos comunicassem com as mãos e o corpo.

A Igreja Católica, até à Idade Média, cria que os Surdos, diferentemente dos ouvintes, não possuíam uma alma imortal, uma vez que eram incapazes de proferir os sacramentos.

fonte: Li Aqui


Setembro Azul 

O Setembro Azul pode ser entendido como o marco fundamental no que diz respeito à mobilização nacional  na defesa das escolas bilíngüe para surdos, o Setembro Azul é um movimento social motivada por uma critica à atual política de educação especial que tem como prioridade o modelo da inclusão, ou seja, colocar os Surdos em escolas regulares e posteriormente o fechamento das escolas especiais.
O setembro azul prevê seminários, palestras, apresentações teatrais, Passeatas, Audiências Publicas, Exposições, Festas etc. Nos diversos estados brasileiros.

 fonte: Setembro Azul 

Aqui no Brasil comemoramos o Dia do Surdo em 26 de setembro, porque nesta data foi um marco histórico importante – foi fundada a primeira escola de surdos no Brasil o atual INES – Instituto Nacional de Educação dos Surdos, em Rio de Janeiro no dia 26 de setembro de 1857 pelo prof. Francês surdo Eduard Huet.

 



6 comentários:

  1. Anônimo08:32

    Flavia, fiquei pelo menos uns dois minutos parada diante do computador me refazendo do choque que senti ao ler esse post. De tudo que você relacionou, eu só conhecia as barbaridades ocorridas na Segunda Guerra. É impressionante como as pessoas têm medo do que é diferente. Parabéns pelo post e pelo orgulho de ser surda.
    Beijocas carinhosas
    Yvonne

    ResponderExcluir
  2. Flá, gostei de conhecer mais sobre o setembro azul.
    Vou tentar colocar no meu blog esse comentario ai.
    Big beijos

    ResponderExcluir
  3. Estarrecedor o preconceito contra os surdos. A Igreja Católica mais uma vez surpreendendo negativamente.

    ResponderExcluir
  4. Que horror!! Não sabia dessas atrocidades!! Ainda bem que o pensamento evolui!
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  5. Flávia,
    não sabia dessas coisas horriveis que faziam com os surdos. Fiquei pasma. Que absurdo. E também não sabia da fita azul. Vivendo e aprendendo.
    beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  6. Ainda bem que tudo isso ficou para trás.O mundo está aberto para todos. Olhar pra frente faz bem.

    ResponderExcluir